O Amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O Amor jamais acaba. (1º Cor. 13:4-8)


Thanks to the Americans for being ums of the biggest visitors to my blog,

Pesquisar

quinta-feira, 31 de março de 2011

SENTIMENTOS ESCONDIDOS

Sempre te amei, mas um dia acordei com uma dor no coração, pensei em raiva pensei em perdão.  Levantei e a dor só aumentava, assustado resolvi procurar o medico, que bem rápido ele me respondeu sobre o que eu tia a anos, e disse sinto muito não posso fazer nada mas você só tem esse amo de vida, eu não sei dizer o que me aconteceu mas parecia que tudo aquilo não era comigo, fui pra casa deitei na cama pensei em todos esse anos que eu tinha perdido em maltratando o meu coração de amar e sempre estar escondido.
Confesso não chorei, ficava a imaginar que tudo acontecia por um ato que eu mesmo o criei, meu coração me chamava de culpado, meus pensamentos variados, como dizer pra quem me conhecia, que neste ano eu morria, pensei muito mas de nada adiantou, de tanto pensar meu coração se calou, me acusando em pensamentos, dizendo não posso fazer nada só lamento, agora agarrei no choro, entrando no estado de apavoro, no quarto trancado frio calado, resolvi sair, foi pra praça e la tinha um jardim, cheio de flores pássaros felizes cantando ali.  Me senti tão só, longe do mundo tão perto do nada, peguei uma estrada, sem destino sem lugar, minhas mão ficaram frias de tanto caminhar.Chorei, ao lembrar de tudo que um dia quis conquistar, das pessoas que diziam me amar, e eu nada a falar muito menos retribuir, todo aquele carinho que recebi, pensei passado não adianta mais voltar, estou fraca e já não consigo mais caminha.
Preciso voltar, e agora me perdi.
Quem me achara, longe de tudo perto de algum lugar.
Já não avia mais lágrimas.
O tempo foi se passando e mais perto do fim do ano, por um instante de dor meu coração acelerou, de repente ele parou e fração de segundos lembrei de tudo errado que fiz nesse mundo. Tudo se escureceu o calor infernal desapareceu, sentia frio muito frio, de medo o arrepio, sentia a dor se acabando os silêncio se aproximando, e tinha certeza que estava morrendo, me sentir desligando, uma luz se aproximando, achei que era meu fim, vi uma mão em minha direção, querendo me tirar daquele chão, foi ai que senti em minhas veias, que parecia passar areia, queimando e a luz se apagando, e a mão já não mais me alcançando em gesto de não ela foi se distanciando.
Onde não sei...
Me vi em cima de uma cama com agulhas em minhas veias, e muita gente de branco me olhando, nos olhos lágrimas rolando, um para o outro dizendo, milagre milagre ela estava morrendo, foi então que percebi, que mais uma chance recebi de tudo fazer de nada correr, que tudo posso fazer quando a Deus intercedendo por você. Já sem dor me peguei a pensar que uma chance nova ele estava a me dar, me dizia ao meu coração, que o amor que vinha do coração deveria expressar, que jamais poderia me calar, quando o meu coração dizer por todos eu sei amar...


D.J. "Darley Soares"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mascote "Sinistro"